terça-feira, 26 de dezembro de 2017

10 coisas que você precisa saber sobre OVNIs



1 | Origem

Devemos o termo "disco voador" a Kenneth Arnold, um piloto civil que, em 24 de junho de 1947, observou uma dúzia de objectos que voavam no espaço aéreo acima do estado de Washington.
Arnold disse que os ovnis eram como uma espécie de pratos, que nos jornais levavam a descrições como "discos voadores". O capitão da Força Aérea , Edward J. Ruppelt, propôs na década de cinquenta usar o termo objecto voador não identificado, nome ligeiramente menos colorido (abreviado: UFO).

2 | Dia Mundial do OVNI

No dia 2 de julho, é comemorado o World Ufo Day. A data foi escolhida porque naquele dia, em 1947, um ovni teria caído na cidade de Roswell, no Novo México.

3 | Stephen Hawking

O cientista mais famoso do mundo, Stephen Hawking, acha que as chances são de que não estamos sozinhos no universo e que não buscamos contato com a vida extraterrestre. "Nós só temos que abrir os olhos para saber que a vida inteligente pode se transformar em algo que você prefere não encontrar", disse. "Os extraterrestres que esgotarem os recursos naturais do seu próprio planeta e até já estejam viajando pelo universo poderão vir aqui com as piores das intenções".

4 | Foo Fighters

No final da Segunda Guerra Mundial, pilotos de caça acima da Alemanha viram estranhas lâmpadas objectos luminosos que pareciam seguir seus aviões por um determinado tempo e, de repente, desapareceriam misteriosamente. Nunca foi encontrada uma explicação para o fenômeno, mas os fenômenos logo foi apelidado como foofighters.

5 | Robbie Williams

Entre outros, John Lennon , David Bowie e Elvis Presley alegaram ter visto um OVNI, mas o maior fã de OVNIs entre as estrelas da música pop deve ser Robbie Williams : uma década atrás, o cantor até fez uma pausa para viver a estudar e investigar OVNIs e extraterrestres. Williams disse que viu um OVNI três vezes: inclusive logo depois de escrever 'Arizona', uma música sobre um seqüestro de alienígenas. Quantas drogas Williams levou durante esse período não é inteiramente clara.

6 | Conspirações

Várias pesquisas mostram que cerca de 70% da população dos EUA acredita que o governo retém informações sobre OVNIs.

7 | De Carter a Clinton

Jimmy Carter disse durante a campanha para a eleição presidencial de 1976: "Eu já não gozo com pessoas que afirmam ter visto um OVNI, eu também já vi um". O presidente Ronald Reagan viu uma luz a fazer zig-zag, luz sobre o seu avião. Ele ordenou que o piloto seguisse o fenômeno, mas depois de alguns minutos, a luz estranha de repente disparou. Hillary Clinton prometeu durante a sua campanha que, como presidente, libertaria todas as informações sobre a misteriosa área 51.

8 | Declaração lógica

A grande maioria dos avistamentos de ovnis pode ser perfeitamente explicada: muitas vezes são apenas balões meteorológicos, aviões, satélites, nuvens raras ou planetas brilhantes. Às vezes, a observação permanece obscura. Como em 2014, quando o exército sueco organizou uma busca no Mar Báltico, porque (um objeto não identificado sob a água) havia sido descoberto. Os russos já negaram que fosse um dos seus submarinos.

9 | Inspiração religiosa

Os OVNIs inspiraram muitos movimentos religiosos. Eles desempenham um papel importante na fé da cientologia e da nação do islamismo. Especialmente notória é a seita do Heaven's Gate, cujos membros acreditavam que o cometa Hale-Bopp, que era claramente visível em 1997, foi acompanhado por um OVNI que veio buscá-los. Para que sua alma fosse transportada para a nave espacial, 39 membros da seita fizeram suicídio coletivo.

10 |Reportar um avistamento 

Você viu algo estranho? Então, você indicar essa observação a uma equipe de estudos do fenómeno OVNI do seu país, para recolha de informação. 

OVNIs & Extraterrestres



Ovnilogia, ou o estudo de objectos voadores não identificados, é um comércio risível. 

Raramente o seu tratamento na mídia está livre de piadas ou com o som de 'The X Files', e pior ainda, é o ridículo do mundo científico, para com quem se dedicar a este estudo é suicídio profissional garantido. 
E, no entanto, alguns dias atrás, o New York Times anunciou a existência de um programa do Departamento de Defesa que operava com orçamento "22 milhões" entre 2007 e 2012 - e continua hoje, não oficialmente - para investigar "ameaças aeroespaciais" avançado ". 
Embora em países como a Bélgica, a China, França, Inglaterra, Rússia, Argentina, Chile e o Peru, existem agências estatais dedicadas à análise de "fenômenos aéreos anômalos", até agora os Estados Unidos se recusavam a admitir o seguimento desta questão.
Desde 1947, o ano em que um ovni caiu em Roswell, no Novo México, e de acordo com os conspiradores, o governo dos EUA recuperou alguns dos seus restos, bem como os corpos de vários extraterrestres, o número de avistamentos nesse país disparou. 

Embora, de acordo com o psicanalista Carl Jung, os OVNIs desempenharam um papel mitológico que ajudaram a gerir o estresse causado pela guerra fria, a Força Aérea os investigou sistematicamente entre 1952 e 1969 através do projeto Blue Book. 
No início de 2017, a CIA colocou em linha quase um milhão de documentos de avistamentos e experimentos psíquicos realizados entre os anos 40 e 90 que indicam que a coisa não terminou e que cerca de 20% dos ovnis relatados não poderiam ser explicados.

Além de entidades como a Mufon (Mutual UFO Network), em que investigadores de 43 países rastreiam avistamentos relatados em todo o mundo, foi criado recentemente pela Academia de Artes e Ciências (TTS / AAS) - que inclui oficiais militares e civis de alto nível, incluindo o ex-oficial encarregado do programa de defesa acima mencionado - sob a premissa de que "há informações credíveis suficientes que fenômenos aéreos anômalos usam tecnologias exóticas que poderiam revolucionar a experiência humana". 
Para a amostra, vídeos de encontros entre navios e aeronaves, com ovnis confirmam a existência de capacidades tecnológicas previamente desconhecidas.

Não saber a origem de um objeto voador não é equivalente a verificar se ele vem de outro planeta ou galáxia. 
Na verdade, a evidência científica a este respeito continua discutível, confirmando a validade do paradoxo de Fermi. 
No entanto, acreditar que os seres humanos são a única forma de vida inteligente em um universo povoado por bilhões e bilhões de mundos - diz-se que haveria 100 planetas análogos à Terra para cada grão de areia que existe na sua superfície - não é apenas ilógico, mas reflete a dimensão perturbadora de nossa ilusão (para não dizer delusão) de superioridade como espécie.

Independentemente das convicções de cada pessoa sobre OVNIs e extraterrestres, há lições a serem aprendidas. 

Entre os mais importantes, nossa existência na Terra poderia ser mais gentil se aprendemos a não ridicularizar, demonizar ou ameaçar tudo o que não entendemos ou não compartilhamos.

Fonte

domingo, 24 de dezembro de 2017

Cientistas, pilotos e testemunhas apelam a reabertura de investigação sobre os OVNIs


Pilotos militares e civis, testemunhas de objectos voadores não identificados (OVNI) e cientistas apelaram, nos Estados Unidos, para que o país reabra oficialmente a investigação sobre o fenómeno, abandonada há cerca de 40 anos.

"Desejamos que o governo norte-americano pare de perpetuar o mito segundo o qual há uma explicação terra a terra e convencional de todos os fenómenos OVNI. O nosso país deve reabrir a investigação oficial que abandonou em 1969", declarou, numa conferência de imprensa em Washington, Fife Symington, antigo governador do Estado do Arizona e ex-piloto da Força Aérea dos EUA, que alega ter testemunhado um objecto voador não identificado em 1997.

O apelo foi assinado por um grupo internacional de 19 pilotos, cientistas e responsáveis políticos, dos quais a maioria se deslocou à capital norte-americana para partilhar publicamente os seus "contactos" com os OVNI.
"Cremos que, por razões de segurança nacional e aérea, cada país deveria esforçar-se por identificar qualquer objecto a circular no espaço aéreo", sublinharam as personalidades na declaração pública.

Entre as personalidades contam-se um piloto reformado da companhia Air France, que diz ter-se cruzado em 1994 com um "enorme disco voador" durante um voo Nice-Londres, um piloto-caça iraniano que conta ter tentado em vão atacar um OVNI em 1976 e um antigo responsável das autoridades norte-americanas da aviação acivil, ao qual lhe foi confiscada uma investigação sobre os OVNI e recuperada no Alasca em 1987.

RTP Notícias

Em 2004 jovens não dormiam para registar OVNI sobre a região de Abrantes

Um jovem militar de transmissões de Abrantes quase não dorme desde a madrugada de domingo.
Ricardo Barradas, de 19 anos, acredita genuinamente que avistou e filmou, durante 10 minutos, um OVNI (Objecto Voador Não Identificado) a pairar sobre a cidade.

A sua irmã, Sónia Machado, de 22 anos, estudante, e o marido, Nuno Machado, de 23, também estudante, crêem no mesmo fenómeno, que observaram pelas 03h00 de domingo, durante 25 minutos.
O jovem militar enviou um ‘e--mail’ à NASA, a agência espacial americana, a contar o que viu: um círculo de luz enorme, que parecia ter uma grande fonte de energia no centro, que se expandia e gerava diversas cores, com predominância para o verde e azul.

FORÇA AÉREA DESCONHECE

O que Ricardo Barradas e os familiares mais estranharam foi o facto de o círculo não ser perfeito e apresentar-se cortado na parte inferior por uma linha recta. Os jovens ainda não conseguiram encontrar uma explicação para o sucedido e a cassete com o registo do alegado OVNI não foi até agora entregue, oficialmente, a qualquer autoridade portuguesa.

No entanto, o coronel Carlos Barbosa, das relações públicas da Força Aérea, garantiu ontem que “não existe qualquer registo radar” na zona e à hora referida pelos observadores.
A verdade, porém, é que o mesmo objecto filmado pelo jovem militar de transmissões terá sido avistado por dezenas de outras pessoas, desde Abrantes até Montargil, passando por Zamora, em Espanha, conforme relatam os telefonemas que tem recebido desde a divulgação do caso.

E é este mistério que não deixa Ricardo Barradas, os familiares e os amigos dormirem desde domingo, devido às longas noites de vigília a olhar as estrelas à espera da repetição do fenómeno, o que ainda não aconteceu.
Até agora o céu apresentou-se, apenas, sempre estrelado e silencioso como na noite do OVNI. 


UMA NOITE MUITO AGITADA

MADRUGADA
Ricardo Barradas deu pelo alegado OVNI quando se levantou para ir à cozinha “beber qualquer coisa”. “Olhei pela janela, vi uma estrela a brilhar muito e estranhei. Por isso, fui buscar a máquina e comecei a filmar na varanda.”
ZOOM DIGITAL
A gravação do objecto foi feita com uma máquina de filmar amadora, com o zoom digital ao máximo (320 vezes), o que pode contribuir para a distorção ou redução acentuada da qualidade de imagem captada, devido à pixelização.
NO CENTRO
O fenómeno parecia estar sobre o centro de Abrantes, no alinhamento das Galerias Camões, “aproximava-se e desaparecia” devido à cintilação e não emitia qualquer som. 
Segundo o autor do filme, “estaria uns 10 metros acima do horizonte”.

CURIOSIDADE

A certa altura, o jovem parou de filmar, acordou a irmã e o cunhado e viram o OVNI durante 25 minutos. 
Depois foram deitar-se, sem ligar muito ao assunto. 
O mistério só ganhou forma no dia seguinte, ao verem o filme.

CM 2004 

OVNI em Pedrógão Grande deixou marcas no solo

Pedrógão Grande, 1995

Em Fevereiro de 1995, na localidade de Poço Negro, perto de Pedrógão Grande, um homem afirmou ter visto uma esfera luminosa de tons ígneos entre os pinheiros que rodeiam a sua casa.

José Faria, assim se chama, regressava a casa de madrugada quando avistou por entre o referido pinhal «uma bola de luzes, num misto de alaranjado e amarelo forte». Sem nunca ter visto nada semelhante, José Faria deduziu que talvez fosse a Lua e, sem mais explicações, recolheu rapidamente à sua habitação. Contudo, no dia seguinte, pensou melhor e concluiu que o que vira jamais poderia ser a Lua. Mesmo assim, durante cerca de quinze dias, mostrou-se relutante em visitar o local onde havia visto a esfera, numa clareira do pinhal a pouco mais de duzentos metros do pequeno quintal da sua casa.

Finalmente, um dia encheu-se de coragem e, na companhia do seu cão, decidiu-se a investigar o estranho ocorrido naquela madrugada. A princípio, não encontrou nada, mas com a ajuda do seu fiel animal, veio a descobrir uma marca triangular escavada no solo. E logo de seguida, outra. E outra. Depois de chamar a irmã, José Faria encontrou outras dezasseis marcas iguais no solo, todas triangulares e do mesmo tamanho, perfurando o solo entre quatro e dez centímetros.

Em vista de tal descoberta, Faria resolveu comunicar a sua experiência às autoridades locais, ultrapassando o seu medo de «cair no ridículo e de ninguém acreditar». A princípio, foi o que aconteceu, pelo menos até Mário Fernandes, presidente da Câmara Municipal de Pedrógão Grande, ter visto as marcas com os seus próprios olhos. Ordenou a uma equipa técnica do Município que realizasse um levantamento topográfico da área em questão.

As 19 marcas triangulares achavam-se dispostas numa configuração oval, com 12 metros de comprimento por 11,5 de largura. Quanto aos triângulos, estes não tinham uma superfície regular, mas sim composta por pequenos losangos em redor das arestas. Ainda no interior da oval desenhada pelas marcas de supostos trens de aterragem, toda a vegetação foi derrubada. Na área circundante, dois pinheiros ficaram completamente calcinados, encontrando-se a dois metros das árvores várias agulhas queimadas e cobertas por um líquido estranho que seguiu para análise.

A APPO (Associação Portuguesa de Pesquisa OVNI) encontrou-se no local para observação dos indícios e recolha de moldes de gesso das marcas triangulares. Segundo eles, as marcas não poderiam ter sido deixadas por um objecto com peso inferior a três toneladas.
Maria José, uma vizinha afastada de José Faria, afirma ter visto um clarão no pinhal na noite da ocorrência, e um indivíduo da localidade de Sertã garantiu ao presidente ter visto luzes estranhas, tendo inclusive uma gravação do acontecimento.
Para concluir, o semanário "O Independente", que publicou um artigo referente a este caso na sua edição de 13 de Abril de 1995, contactou a Força Aérea Portuguesa, disposto a lançar alguma luz sobre os acontecimentos. 
De acordo com os responsáveis pelo controlo do tráfego aéreo, não foi detectado qualquer voo não-identificado no espaço aéreo português.

Fonte: "O Independente".
Data: 13 de Abril de 1995.

Qualquer informação adicional queira nos informar através do e-mail: 'ufo_portugal@sapo.pt'

sábado, 23 de dezembro de 2017

Entre Tijuana e Guadalajara 'Mexico', há luzes no céu que acompanham os aviões


Vários avistamentos de OVNIs foram registados no México e, até à data, não pararam, nem em Rosarito, Tijuana, Monterrey ou Tlalpan, na Cidade do México. 

Muito tem sido dito sobre esses incidentes, felizmente, a tecnologia permite conhecer os testemunhos dos diferentes lugares que levam a considerar que na verdade eles foram eventos únicos e irrepetíveis com objectos voadores.
Um vídeo de apenas 10 segundos deixa claro o que aconteceu na noite de 12 de dezembro e com a qual a controvérsia sobre se foram flares, helicópteros e até mesmo drones acabou.

Fernando Padilla capturou com seu telefone celular o momento do avistamento Ovni num Airbus A321 de Volaris, quando deixou o aeroporto internacional da cidade de Tijuana minutos após as 20:00 horas para Jalisco.
Ele percebeu que eram luminescentes independentes, mencionou que "eles faziam parte da mesma estrutura, se não fossem entendidos como alinhados. Olhei para eles entre 10 e 15 minutos ". 
A testemunha disse ter, perguntando ao comissário de bordo o que poderia ser o que estava vendo pela janela: "Eu não sei o que é, mas deixe-me perguntar ao capitão".
Por sua vez o capitão de voo disse não ter visto nada.
Padilla Coronado disse que nessas luzes ele calculou um tamanho de 30 ou 40 metros, muito grande e a intensidade da luz era forte, não é normal vee esse tipo de luz em objectos que estão tão longe de um avião. 
Fernando enfatizou que essas luzes estavam acima da altitude em que o avião estava voando. No vídeo, vemos seis luzes alinhadas e, em um close-up, a asa do avião com uma de suas luzes, um facto extraordinário, uma vez que não é usual que este tipo de incidente ocorra e seja registrado a partir de uma aeronave comercial.

Funcionários do Aeroporto Internacional da Cidade do México, relataram não ter nenhum relatório anômalo da noite 12 de dezembro. 
Ao perguntar sobre a possibilidade de operações militares treinamento ou alguma operação especial, eles asseguraram: "Em todos os momentos, os aeroportos aprendemos sobre essas ações para evitar possíveis atrasos ou qualquer problema com as companhias aéreas. "
Ao observar os materiais do incidente, eles disseram: "Com o simples comportamento dessas luzes estranhas e a duração total do evento, elas não corresponderiam a nenhuma aeronave conhecida". 
12 de dezembro vai ficar na história da casuística OVNI no México como a verdadeira noite dos OVNIs.

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Investigação OVNI no interior do Pentágono EUA

Durante anos, investigadores e entusiastas do fenómeno OVNI e vida extraterrestre, têm sido catalogados, rotulados como "malucos", muito se tem apelado a uma abertura do fenómeno para com o governo americano.

Por sua vez o governo americano tem negado sistematicamente a existência de OVNIs 'Objectos Voadores Não Identificados', num termo mais avançado 'OVET', Objecto Voador Extraterrestre.

As últimas revelações demonstram que o governo não só sabe do que muito tem negado como também investiga o fenómeno em segredo!
Se o fenómeno não fosse real, não seriam investidos 22 milhões de dólares no programa de investigação OVNI dentro do próprio Pentágono.
Será caso para dizer... ( Afinal quem são os maluquinhos agora )?
Aos poucos o assunto parece estar a dissipar a cortina de fumo, onde se nota cada vez mais aceitação do fenómeno e quase a inegável existência de vida extraterrestre.

O assunto não fica por aqui!

Será que a NASA terá também a hombridade de abrir o jogo e revelar os seus segredos sobre o fenómeno OVNI e vida extraterrestre?!
A própria NASA têm o seu departamento de investigação alienígena que trabalha em total sigilo, muito além do afamado programa SETI.

Será que estamos a ver luz ao fundo do túnel no Disclosure?


Até quando se vai negar o inegável!


















A CIA, FBI entre outras agências governamentais dos EUA, à muito que investigam o fenómeno OVNI silenciosamente.

Abertura da informação relativamente sobre o Pentágono não foi uma surpresa na comunidade que estuda e debate o assunto!
Há muito que se pede consenso e uma abertura definitiva sobre o assunto.

Existem muitos outros programas em curso quer diretamente ou indiretamente ligadas ao Governo Americano.
Existem agências que são do total desconhecimento do governo.

Ainda estamos na minúscula ponta do iceberg

domingo, 17 de dezembro de 2017

Revelado o departamento especial do Pentágono para investigar OVNIs


Pela primeira vez são conhecidos detalhes do programa das Forças Armadas norte-americanas sobre encontros com Objetos Voadores Não Identificados

O nome formal é Programa Avançado de Identificação de Ameaças Aeroespaciais (Advanced Aerospace Threat Identification Program, no original) e na prática trata-se do departamento do Pentágono que, desde 2007, investigou os chamados "objetos voadores não identificados".
Este sábado, pela primeira vez, foram conhecidos detalhes deste programa das Forças Armadas norte-americanas. 

Ao mesmo tempo, o Departamento da Defesa divulgou um vídeo com um dos casos que esteve sob investigação, o encontro de um F/A-18 Super Hornet da Marinha com algo não identificado -- incidente ocorrido em 2004:

'

Segundo o jornal The New York Times, que avançou com a notícia, este projeto teve um orçamento de 22 milhões de dólares (18,7 milhões de euros) e foi fundado a pedido do ex-senador Harry Reid, democrata eleito pelo estado do Nevada, que assumidamente é um interessado no "fenómeno OVNI".
Entre 2007 e 2012, ano em que segundo o Pentágono o programa foi cancelado, este departamento agiu em segredo analisando os casos considerados suspeitos, baseados em relatos de militares. E, segundo o NYT, ainda que formalmente o projeto já não esteja orçamentado, as pessoas nele envolvidas continuam a trabalhar neste tipo de situações, acumulando com outras funções dentro do Departamento da Defesa.



Pormenor curioso é também o facto de grande parte do dinheiro ter sido canalizado para a empresa Bigelow Aerospace, sediada no Nevada e dirigida por Robert Bigelow, multimilionário que é amigo do senado Harry Reid.
Dentro das Forças Armadas, no entanto, há quem continue a valorizar as atividades do programa. Ainda segundo o NYT, o antigo diretor do departamento, Luis Elizondo, que saiu do Pentágno no início do ano, utilizou a sua carta de demissão para criticar o Secretário da Defesa, James Mattis: Porque "não se está a gastar mais tempo e esforço neste assunto?", questionou.
O antigo senador Harry Reid, por seu lado, continua a defender este seu projeto. Ao NYT, garantiu mesmo que ninguém sabe o que são estes objetos voadores. "Se alguém diz que tem resposta, está a enganar-se a si mesmo. Simplesmente, não sabemos".

www.dn.pt

Enquanto isso no início de 2017, surgiam outras notícias.

Mais de 900 mil documentos da CIA disponibilizados na Internet


Relatórios sobre avistamentos de OVNIS, estudos sobre poderes sobrenaturais ou vigilância da imprensa estão entre as mais de 12 milhões de páginas disponibilizadas pela CIA.

A CIA publicou cerca de 930 mil documentos desclassificados, perfazendo mais de 12 milhões de páginas, que estão agora online e acessíveis ao público em geral. A decisão surgiu depois da pressão exercida por variados grupos de defesa da liberdade de informação e na sequência de um processo judicial.

A notícia foi dada em primeiro lugar pelo site Buzzfeed, informando que a documentação, que inclui relatórios sobre avistamentos de OVNIS ou experiências psíquicas, era já pública mas era apenas disponibilizada no Arquivo Nacional americano em Maryland. Agora, as páginas podem ser consultadas aqui.

Na sua página, a CIA admite que a visita a Maryland para a consulta dos documentos era “inconveniente e representava um obstáculo para os investigadores”.

Da base de dados, denominada “Crest”, fazem parte documentos do antigo secretário de Estado dos Presidentes Richard Nixon e de Gerald Ford, Henry Kissinger, e documentos sobre os crimes de guerra cometidos pelo regime nazi. A colecção inclui também temas mais científicos, alvo de várias teorias de conspiração, tais como OVNIS, receitas para tintas invisíveis e investigação centrada na telepatia.

Neste âmbito, encontram-se registos sobre o chamado Stargate Project, que se baseava na análise de capacidades psíquicas sobrenaturais e extra-sensoriais, estudando-se a possibilidade de utilizar a telepatia para fins de espionagem e militar.

Em concreto, disponibiliza-se os exames realizados a Uri Geller em 1973, numa altura em que este ganhava destaque em programas de televisão onde demonstrava os seus poderes sobrenaturais. A BBC notaque os relatos documentados referem que o israelita conseguiu reproduzir desenhos feitos por pessoas presentes numa sala separada.

Apesar de ter impressionado os investigadores da altura, em 1995 foi escrito um relatório onde se concluía que não foi demonstrada a existência de um “fenómeno paranormal ou visão remota”.

Guardian, por sua vez, traz a lume a actuação da CIA em relação aos órgãos de comunicação social. A documentação agora divulgada mostra que a agência possuía informação detalhada sobre empresas de media e jornalistas. Por exemplo, uma cópia de um artigo da revista Mother Jones de 1978 era acompanhada com uma nota onde se descrevia que a publicação era “um escândalo produzido localmente publicado por um grupo de dissidentes”.

Sobre os jornalistas responsáveis pela investigação que culminou no caso Watergate a informação é extensa. Na altura em que Carl Bernstein passou para a televisão ABC, foi enviada uma carta à CIA a dar conta da transferência, sendo que o autor afirmava querer “descobrir que tipo de pessoa é que ele é”. Outras dezenas de documentos incidem sobre o parceiro de Bernstein, Bob Woodward, e a respectiva equipa de investigação que trabalhou no caso que ditou a queda do Presidente Nixon. Em 1985, foi escrita uma notaonde se informava o que Woodward andava a preparar: “Soube por uma fonte da CIA que o repórter do Washington Post Bob Woodward lançou um mau olhado ao chefe da CIA Bill Casey. Woodward anda a entrevistar toda a gente que alguma vez conheceu Casey”. Dois anos mais tarde, Woodward escreveu mesmo um livro sobre o período em que Casey foi director da agência.

Foi o grupo sem fins lucrativos MuckRock, defensor da liberdade de informação, que primeiro processou a CIA tentando forçar a publicação dos referidos documentos na Internet. Mas, ao mesmo tempo, o jornalista Mike Best iniciou uma campanha de recolha de fundos, em que conseguiu reunir 15 mil dólares, para visitar o arquivo em Maryland, imprimir todas as páginas e divulgá-las por iniciativa própria.

Público.pt 


sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Vídeo: Avistamento em Vale de Milhaços "Corroios" - Portugal


Localização - Corroios

Data e hora - 12/12/2017 - 13:00h aproximadamente

Testemunha - Sr. Eduardo Ribeiro

Em anexo envio algumas fotos e 2 vídeos que fiz no dia 12 de Dezembro de 2017 pelas 13:00 na rua R. 31 de Janeiro 27 (Vale de Milhaços) que tirei em direcção a Norte.


Não sei bem o que era, a verdade é que ia a conduzir e reparei num grande reflexo que era intermitente, parei o carro e fiz as fotos e os dois vídeos que envio em anexo.

Abraço e continuação do excelente trabalho.
Eduardo Ribeiro

Vídeo...

Se observou o mesmo fenómeno poderá reportar a sua observação para ufo_ portugal@sapo.pt

Seguem as fotos originais enviadas pela testemunha.







Drone?

Anúncio da NASA com nova descoberta


Nasa anuncia descoberta de um segundo sistema solar com oito planetas
Agência espacial encontrou um oitavo planeta no sistema Kepler-90, o que o torna comparável ao Sistema Solar que engloba a Terra

A Nasa, agência espacial norte-americana, anunciou esta quinta-feira (14) que descobriu um outro sistema planetário com oito planetas orbitando uma estrela — à semelhança do Sistema Solar de que a Terra faz parte.
Igualando o número de planetas ao redor do nosso Sol, esse é o maior sistema solar  já encontrado por uma agência espacial.

A descoberta de um oitavo planeta, chamado Kepler-90i, foi feita a partir de dados obtidos pelo telescópio Kepler, lançado em 2009, e analisados por um sistema de inteligência artificial da Google.
Anunciada como uma das maiores proezas já realizadas pela Nasa, a descoberta que mostra a existência de um sistema solar parecido com o nosso, localizado a 2.545 anos-luz de distância, foi possível graças ao emprego pioneiro da inteligência artificial no espaço: os dados do Kepler já estavam disponíveis, mas faltava entendê-los o suficiente para mostrar a existência do oitavo planeta.
E, conforme a agência, esse pode não ser o último deles nesse sistema.
— Tal como esperávamos, há descobertas entusiasmantes escondidas nos  nossos dados do Kepler, à espera da ferramenta ou tecnologia certa para  as desvendar. Estas descobertas mostram que os nossos dados serão como um baú de tesouros disponível para investigadores inovadores  durante os próximos anos — afirmou o diretor da  Divisão de Astrofísica da Nasa, Paul Hertz. 

Em vídeo, Nasa resume a descoberta (em inglês)


A descoberta sugere que possa haver sistemas solares inteiros escondidos em meio a dados astronômicos já recolhidos nas missões realizadas pelo Kepler e por outros telescópios, mas que não foi possível ainda notar porque demandam a análise de muitos sinais, alguns dificilmente distinguíveis sem a ajuda de máquinas.

— Encontramos muitos falsos positivos, mas também alguns planetas em potencial. 

É como  peneirar pedras para achar ouro — destacou o investigador  Andrew Vanderburg,  astrônomo da Universidade do Texas.
Aparentemente, porém, o recém-descoberto Kepler-90i não é dos mais promissores candidatos a abrigar vida. Cerca de 30% maior que a Terra, o planeta está tão próximo da sua estrela que, a NASA estima, a temperatura média na superfície ultrapassa os 426 ºC — parecido com a temperatura que, acredita-se, é registada em Mercúrio, primeiro planeta do nosso Sistema Solar. Todos os planetas que orbitam a Kepler-90, o Sol desse sistema, estão mais próximos da estrela e, portanto, se calcula que sejam mais quentes do que aqui.
— O sistema Kepler-90 é como uma versão em miniatura do nosso Sistema Solar. Você tem planetas pequenos no interior e planetas maiores no exterior, mas todos estão muito mais próximos — explica Vanderburg,  astrônomo que junto com Christopher Shallue, engenheiro de software da divisão de inteligência artificial do Google, "ensinou" um computador a identificar exoplanetas, como são chamados os planetas que orbitam uma estrela diferente do Sol.
Os investigadores envolvidos na descoberta conseguiram "treinar" um computador para aprender a identificar exoplanetas através da pequenas, quase insignificantes (ao olho humano), mudanças de luminosidade emitida por uma estrela quando um planeta passa por ela. 


Além do oitavo planeta no sistema Kepler-90, a inteligência artificial também tornou possível a descoberta de um sexto planeta no sistema solar Kepler-80.
A investigadora de astrofísica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), a professora Thaisa Storchi Bergmann explica que a descoberta é importante porque mostra, pela primeira vez, um sistema solar  com o mesmo número de planetas do nosso e que, além disso, também chama atenção por manter uma configuração semelhante, com planetas terrestres mais próximos da estrela e os gasosos mais afastados.
— Apesar de haver muitas diferenças, há que se destacar tantas semelhanças com o nosso Sistema Solar.
Essa é a grande notícia.
E talvez não demore muito para descobrirmos outra Terra por aí.


Não foi a notícia tão esperada da descoberta de vida extraterrestre que muitos aguardavam como um passo final para este tabú.
Porém esta descoberta reafirma cada vez mais a vida alienígena noutros planetas, sistemas solares.
Vida essa que pode ser tecnologicamente mais evoluída que a Terrestre com a possibilidade de sobrepor a impossibilidade humana e dessa forma nos visitar.

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

A estranha morte do Capitão Mantell, ao interceptar um OVNI

O incidente ocorreu a 7 de janeiro de 1948, quando um estranho objeto lenticular l apareceu nos céus do Kentucky e foi enviado um esquadrão de 4 aviões de combate, dos quais o que pertencia ao capitão Thomas Mantell, que teve morte imediata.

Ao longo da história da ovnilogía, há muitos casos em que aviões de guerra perseguiram estranhos objectos voadores luminosos, sem poder abordá-los devido à grande velocidade que estes desenvolveram.
Mas, sem dúvida, o caso mais chocante foi o do capitão Thomas Mantell, que morreu ao perseguir um OVNI, em circunstâncias estranhas.
É por isso que é considerado pelos investigadores como o "primeiro mártir da ovnilogia" no planeta, pelo menos oficialmente.

Tudo aconteceu a 7 de janeiro de 1948, em Kentucky, nos Estados Unidos, quando milhares de pessoas localizadas em diferentes partes desse estado foram, surpreendidas nessa tarde, por um enorme objeto luminoso de forma lenticular que voava em direção à zona de Fort Knox, onde as reservas de ouro dos Estados Unidos são mantidas, em câmaras subterrâneas fortemente protegidas. 

Diante da possibilidade de ser uma tentativa de assalto ou algum acto terrorista, foi acionada a Força Aérea, para interceptar o objecto, enviado um esquadrão de quatro l Mustang F-51 pertencentes à Guarda Nacional que estavam nas proximidades, sob o comando e líder do esquadrão, o Capitão Mantell, um veterano de guerra na Europa, com milhares de horas de vôo.
Três dos aviões se aproximaram do objecto e um dos pilotos transmitiu à base que "o objeto era metálico e de um tamanho tremendo".

Por sua vez, o líder do esquadrão surtiu sua surpresa ao detalhar o que estava na frente dele: "Eu me aproximo e o objecto se move a dobro da minha velocidade, este objecto parece ser metálico e tem um tamanho enorme. Agora ele sobe na mesma velocidade que eu, ou seja, cerca de 600 quilômetros por hora, vou subir até 6.000 metros e aproximar mais, se não conseguir irei abandonar a interceptação, não tenho muito combustível ". 
Estas foram as suas últimas palavras transmitidas pelo capitão Mantell com a torre de controle; Eram exactamente 15:15 da tarde quando o avião, caiu perto de Fort Knox.

Os militares realizaram um perímetro de segurança na área da tragédia e não permitiram que ninguém se aproximasse, nem mesmo os familiares do capitão Mantell podiam ver os seus restos mortais, que foram enterrados no dia seguinte no topo do segredo em nome do Exército.
Porquê tanto segredo? 
Se tivesse sido um acidente, não deveria ter sido assim, a verdade deveria ter sido dita ao público, já que milhares testemunharam o que aconteceu, em plena luz do dia. 

Porquê tanta intriga e sigilo? 


Nem alguém poderia examinar o que restava da fuselagem do avião, enquanto as autoridades tentavam apagar todos os traços de anormalidade, afirmando que o objeto perseguido pelo capitão era simplesmente um balão de sonda, a imprensa fazia o mundo saber em grandes manchetes que o avião do capitão Mantell se desintegrou quando tentou perseguir um OVNI.
Entre as duas versões, igualmente tendenciosas embora de sinais opostos, provavelmente a realidade deve ser procurada no facto de que a proximidade do OVNI causou no motor do avião algum distúrbio eletromagnético que por sua vez causou a sua paragem. 
O que eles não queriam que a imprensa visse e divulgue?

É provável que o avião tenha entrado num poderoso campo de proteção do objecto que causou a sua destruição.
O avião, sem impulso, provavelmente despencou, seguido de um acidente de saca-rolhas, sem que o piloto tivesse mais o seu controle.
O estranho é que o piloto não saiu do avião, nem teve tempo de fazê-lo.
O facto é que tudo aconteceu e está perfeitamente documentado pelas Forças Armadas e pela Guarda Nacional do Kentucky, além dos milhares das testemunhas civis que viram o espetáculo incomum do chão e que não podem ser enganados. 


Para todas aquelas pessoas que viram o incidente quer no céu quer no solo, foram levadas para o estúpido com a explicação infantil que os militares deram oficialmente. 
E embora mais tarde o governo e algumas esféras de alta segurança reconhecessem que o avião estava perseguindo um estranho objeto volador de origem desconhecida, isso não satisfez ninguém. 
A causa da morte do capitão Mantell, que até hoje continua sendo um enigma, nunca foi totalmente explicada.

Hipótese 

Além disso, surgiram outras hipóteses por parte de investigadores civis e privados, tentando encontrar uma explicação neste mistério.
Alguns afirmaram que o piloto desmaiou quando subia tão subitamente a uma altitude superior a 6.000 metros, sem usar máscara de oxigênio ou estar preparado para tal evento.
Outros disseram que ambos os parafusos e rebites do avião inrromperam quando entraram num poderoso campo eletromagnético, desarmando completamente o avião.

Outra explicação mais ou menos lógica é que o avião saiu de controle devido a uma sobrecarga de energia desconhecida, que teria causado a queda. 
E, finalmente, uma teoria apresentada pelos crentes no fenómeno OVNI, que afirmam que tudo foi causado por relâmpagos lançados pelo estranho dispositivo como defesa contra a aproximação do avião.
Esta teria sido a razão pela qual as autoridades não deixaram ver o corpo do piloto, que estava totalmente queimado, irreconhecível e, portanto, foi enterrado num caixão selado. 

O mesmo aconteceu com os destroços do avião, a fuselagem foi totalmente queimada, torcida em alguns sectores, como se tivesse sido exposta a alta temperatura.
Os destroços do avião foram rapidamente recuperados e transportados para uma base da Força Aérea, para serem analisados ​​posteriormente. 
Isso ocorreu oficialmente alguns dias depois, por parte dos que estavam perto da investigação, oficiais de alto escalão que não deram os seus nomes.
É claro que os resultados dessas análises nunca foram divulgados, como é o caso até agora dos diferentes governos. 


Mais um caso entre muitos que aconteceu e continua a ocorrer de ocultação à verdade. 

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

NASA irá anunciar nova descoberta na Quinta - Feira... Será desta?




A agência espacial americana NASA, irá realizará uma conferência de imprensa na quinta-feira para revelar a sua mais recente descoberta após escanear o universo em busca de planetas habitáveis.

A nova descoberta vem da equipe no telescópio espacial Kepler, que procura vida extraterrestre desde 2009.

O telescópio procura por planetas do tamanho da Terra nas "zonas habitáveis" das estrelas próximas e, posteriormente, encontrou milhares de planetas que poderiam conter vida.
O telescópio espacial Kepler vê mundos alienígenas percebendo os pequenos resfriados de brilho que eles causam quando atravessam o rosto da sua estrela hospedeira do ponto de vista da nave espacial.
Kepler tornou-se o caçador de planeta mais bem sucedido da história.
O telescópio encontrou 2.500 mundos alienígenas, que são cerca de 70 por cento de todos os exoplanetas conhecidos.

A grande maioria dessas descobertas provêm de observações feitas por Kepler durante a sua missão original, que decorreu entre 2009 e 2013.
Ao longo dos últimos anos, os investigadores usaram técnicas de análise aprimoradas para detectar muitos exoplanetas em dados que Kepler reuniu há meia década.


Teremos então de aguardar até quinta feira para sabermos que descoberta tão importante foi essa realizada pela NASA.

domingo, 10 de dezembro de 2017

OVNIs nos Pirinéus: 40 anos após o incidente Pusilibro



A história dos OVNI nos Pirineus está inevitavelmente ligada aos avistamentos de Pusilibro, um pico localizado na Serra Caballera (Huesca Espanha) que provocou há 40 anos uma atracção hipnótica para milhares de pessoas interessadas num fenómeno que ocupou as primeiras páginas dos jornais . 
Quarenta anos atrás, em novembro de 1977, foi publicado exclusivamente no jornal oscense 'New Espanha' (empresa 'Diário Altoaragón') de uma série de fotografias noturnas estranhas mostrando duas luzes em movimento.

Curiosidade dos poucos que falaram do avistamento das estranhas luzes no topo de Pusilibro (1.597 mts.) De repente, tornou-se um fenómeno internacional que causou peregrinações nocturnas contínuas para a área e interesse da mídia internacional.
Uma das pessoas que melhor conhecia toda esta história foi o jornalista já reformado Luis Garcia Nunez, do jornal Oscense, não apenas pelas fotografias conhecidas, mas a narrar tudo o que estava acontecendo ao seu redor conhecido como "OVNI Pusilibro ".
Em declarações à Efe, o jornalista diz que recebeu um
a chamada telefónica para o jornal em setembro de 1977  da qual o seu diretor pediu para investigar os alegados avistamentos no âmbito de descobrir o que realmente se passava.

A chamada advertiu sobre a presença de luzes vermelhas.
Noite após noite, recorda, pegou no carro para se deslocar para a vizinhança do Pusilibro e espera o inesperado, junto com algumas dezenas de pessoas que esperavam fielmente para rever novamente as estranhas luzes.
A partir de então, García Núñez teve que filtrar dezenas de chamadas que alertavam sobre avistamentos improváveis ​​nos mais variados cantos da geografia de Huesca, alguns com uma indubitável intenção de gozo.
A publicação das fotografias, a 10 de novembro de 1977, não só despertou o interesse e curiosidade da mídia, ufologistas ou, simplesmente, pessoas curiosas interessadas no fenómeno OVNI.

As famosas imagens do OVNI de Pusilibro foram capturados por um fotógrafo amador a partir do terraço no décimo andar, onde ele viva, e mostra, em uma sequência curta constituído por três capturas, como uma pequena luz branca se aproxima outra mais avermelhada e Finalmente, eles se fundem em um só com tonalidade  esbranquiçada.
Foi um terremoto informativo, ressalta o jornalista, o que significou que, para centenas de pessoas, todas as noites até o Pusilibro abordar centenas de pessoas em busca da magia do desconhecido.
Um fenómeno que atraiu um comerciante experiente, que levou um reboque cheio de bebidas e comida para alimentar todos aqueles que aguardavam ver as misteriosas luzes.

Desde então o jornalista, manteve um contacto permanente com o famoso investigador Juan Jose Benitez.
Foram longas noites a sanduiches, bebidas, frio, cobertores, câmeras em tripé e um entusiasmo e nervosismo difíceis de entender até hoje.
O próprio Benítez, um dos curiosos que passou várias noites perto do Pusilibro, conseguiu aproveitar os negativos das fotografias, que levou para um laboratório para serem analisadas, detectar possíveis fraudes ou manipulações.
De acordo com o jornalista de Huesca, o escritor popular contou-lhe algum tempo depois que as imagens que publicou exclusivamente eram autênticas e não manipuladas.

No entanto, o fenómeno causou algumas piadas e provocações, entre os quais se assemelha a uma máquina de escrever enviada por alienígenas dos pressupostos planeta Ummo em que alertou para a incapacidade dos seres humanos para compreender a existência de vida extraterrestre.
Além deste tipo de reações, o fenómeno também atraiu ufologistas reconhecidos, como o próprio Benítez, que deram por certo ou questionaram as próprias imagens e os alegados avistamentos.
Benitez escreveu algum tempo depois "o caso do 'OVNI de Pusilibro' é verdadeiro ... estamos diante de um momento excepcional. Não esqueçamos, que foi também visto por muitas testemunhas durante os meses de setembro, outubro e novembro de 1977. "

A verdade é que, lembra García Núñez, que desde então não há novidades de novos avistamentos nos Pirinéus que causassem tal comoção de gente.

Heraldo.es

sábado, 9 de dezembro de 2017

Sondagem: Você acredita em vida Extraterrestre?

Você acredita em vida alienígena?
A grande questão da humanidade.
Estaremos realmente sozinhos no Universo!

Este é um estudo que o UFO Portugal Network está a realizar pelos quatro cantos do mundo através do Facebook.

Para poder participar com o seu voto, sua opinião através do Facebook só terá de entrar (AQUI).
Basta nos dar a sua opinião com um simples Sim ou Não.

Um especial agradecimento da equipe UFO Portugal Network

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Algo inóspito durante a Super Lua 'Portugal'

Imagem j.público
Estranho fenómeno é registado durante a Super Lua em Portugal.
Após a publicação de uma foto pelo jornal público, algo despertou atenção!
"Ponto escuro sobre a Lua"


Essa imagem gerou alguma curiosidade por parte de várias pessoas na rede social Facebook.

Porém não obstante disso houve manifestação de outras pessoas que registaram na noite 4 de Dezembro algo de estranho nas suas fotos.
Este é o exemplo do Sr. Francisco Carrola, que registou algo enquanto fotógrafa a Super Lua em Corroios.

As imagens têm gerado alguma curiosidade, onde se tenta chegar a uma conclusão sobre a sua origem.
Aves, Satélite, Drone, Avião?
O que será aquela mancha nas imagens?!






Imagem j.público

Se você também registou o mesmo fenómeno nas suas fotos, poderá partilhar connosco através do email ufo_portugal@sapo.pt 

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Michael Schetsche: WE ARE NOT ALONE


O professor alemão de sociologia, Michael Schetsche, está convencido de que existe vida extraterrestre. 
Na conversa, ele explica as consequências de ter contactos com alienígenas para a humanidade - e a melhor forma de reagir quando um OVNI subitamente pousar na sua frente.

Entrevista

"Talvez tais seres nos observem há muito tempo, mas consideramos que não é interessante para entrar em contacto, preferimos seguir as nossas vidas como se nada passasse." 

NZZ am Sonntag: "A probabilidade da existência da vida extraterrestre deve ser considerada elevada, escreveu você recentemente  numa matéria científica... Você está falando sério?

Michael Schetsche: Claro. Sozinho com base em descobertas recentes em astrofísica e astrobiologia. Nos últimos vinte anos, muitos exoplanetas foram descobertos, o que - assim como a Terra - gira em torno de uma estrela fixa. A maioria dos astrofísicos assume que há mais de dez bilhões de planetas na nossa galáxia que são tão semelhantes à Terra que poderiam ter dado vida ao nosso entendimento. E muitos especialistas acham provável que existam vidas em inúmeros lugares do universo.

O paradoxo Fermi claramente fala contra extraterrestres inteligentes.
A ideia básica do físico nuclear italiano Enrico Fermi, sobre a qual o paradoxo remonta, é sim: se houvesse extraterrestres inteligentes cuja civilização fosse mais desenvolvida do que a nossa, teriam conquistado o cosmos desde há muito tempo. Por que você não nos visitam então? Mas essa visão leva o homem ao único padrão. O paradoxo de Fermi é mesmo eurocêntrico.

Eurocêntrico?

Sim. Talvez você conheça a distinção do etnólogo francês Claude Lévi-Strauss entre culturas "quentes" e "frias": culturas frias, como algumas sociedades tribais nas florestas tropicais, são baseadas em processos cíclicos. Eles dificilmente mudam o seu habitat e suas condições de vida e não se movem. Em contraste, as culturas quentes - especialmente as européias - descobrem, conquistam e colonizam. Por que as civilizações extraterrestres devem ser necessariamente culturas quentes?

Michael Schetsche

O professor, sociólogo e astrônomo amador no Instituto de Sociologia da Universidade de Freiburg, preocupava-se com a sociologia do conhecimento dos problemas sociais. Em 2002, Schetsche tornou-se Coordenador de Pesquisa no Instituto de Áreas Fronteiras de Psicologia e Saúde Mental (IGPP) em Freiburg. Hein

O autor best-seller suíço Erich von Däniken afirma que os extraterrestres ajudaram a humanidade a construir as pirâmides egípcias. Você está de acordo?

Tenho fortes dúvidas. Uma criação das pirâmides sem suporte do espaço parece ser muito mais provável. 
No entanto, é preciso também dizer que os extraterrestres inteligentes poderiam estar na Terra há muito tempo, não podem ser descartados de acordo com o conhecimento atual.
Os físicos calcularam que a distância de outros exoplanetas para a Terra não pode ser superada com uma nave espacial convencional. A necessidade de energia e tempo seria muito alta.

Para nós uma gigantesca viagem, para os extraterrestres, uma viagem pode ser uma leve brisa. Podem ter desenvolvido técnicas muito mais sofisticadas do que nós. 
Momento. A vida não é sempre biológica?

Vida sim, inteligência não necessariamente. Parece mais provável que os seres inteligentes da máquina viajem um dia para a Terra a partir do espaço: robôs controlados pela inteligência artificial (AI). Talvez tais seres nos observem há muito tempo, mas considerem-nos também desinteressantes para contatá-los. Uma espécie mais sofisticada não necessariamente desembarca com uma nave espacial em frente à Casa Branca, como nos filmes de ficção científica. Talvez os extraterrestres esperem também que nós desenvolvamos robôs inteligentes que possam superar as dificuldades do ser humano.

Www.nzzas.nzz.ch

Faleceu a lendária piloto e caçadora de OVNIs Marina Popovich aos 86 anos


A lendária piloto de testes de primeira classe soviética Marina Popovich, chamado "Madame MIG" para a condução supersônica no cockpit de um caça MiG-21, morreu aos 86 anos. 

A aviadora desenvolveu uma paixão pelos extraterrestres, alegando ter encontrado OVNIs.

Nascida em 1937, Popovich se alistou na Força Aérea no pós-guerra para se vingar dos assassinatos fascistas na sua cidade natal na região de Smolensk. Ela disse à mídia russa que a sua família repetiria o destino de muitos outros queimados ou morto a tiros pelos fascistas em um massacre na aldeia se as milícias locais não o salvassem.

A experiência horrível deixou uma profunda impressão sobre ela. Popovich tinha apenas 16 anos quando escreveu uma carta ao ministro da defesa soviética, Voroshilov, pedindo-lhe que queria ser uma piloto profissional, uma carreira que estava fechada às mulheres. Ela acrescentaria vários anos à sua idade para perseguir seu sonho, fingindo que tinha 22 anos quando começou a treinar.

Como Popovich disse que era seis anos mais velha do que realmente era, e que o engano se refletia nos documentos oficiais, sua idade "oficial" diferia do real e causava confusão ao longo dos anos.

Em 1961, Popovich tornou-se a única piloto de testes de primeira classe soviético e, em 1964, um piloto de testes militares. Um ano depois, ela quebrou a barreira do som atingindo a velocidade de 2.320 km / h num MiG-21, um jato supersónico e uma aeronave de interceptação.

Durante a sua longa carreira na aviação, ela voou em 40 aeronaves e helicópteros diferentes, estabelecendo 102 registros mundiais da aviação.

Dez desses registros foram estabelecidos no pesado avião de transporte militar Antonov An-22 Antei, que continua sendo o maior avião movido a turbopropulsor no mundo até à data. Ela se aposentou em 1984, depois de ter voado cerca de 6.000 horas de vôo.

Após sua aposentadoria, Popovich concentrou-se na sua outra paixão por um longo tempo.... a busca de evidências de vida extraterrestre. Ela falou abertamente sobre as suas próprias experiências com OVNIs e afirmou ter visto três vezes, a primeiro em 1962, e compilou inúmeras contas de avistamentos ao redor do mundo.

Ele também afirmou ter encontrado a criatura mítica Bigfoot durante uma viagem às montanhas Pamir em 1982.

No seu livro "UFO-Glasnost", ela escreveu que os pilotos militares e civis soviéticos relataram cerca de 3.000 avistamentos de OVNIs e que o KGB tinha os restos de cinco OVNIs escondidos, declarações que reiterou em entrevistas públicas.

"Os OVNIs existem, o seu comportamento é lógico, os seus motivos e comportamento são sensíveis, à sua origem artificial, Inteligente... Um aviso: você deve ser cauteloso e vigilante quando se encontra com ovnis, às vezes esses encontros podem ser trágicos ", escreveu no seu livro," OVNIs no planeta Terra ", em 2003.

Popovich foi premiado com uma das maiores honras do estado na União Soviética, Herói do Trabalho Socialista, a Ordem do Valor em 2007 e outras decorações.

www.rt.com

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Se OVNIs não existem, o que serão estas luzes na Flórida EUA?



Vídeo volta a vitralizar nas redes sociais.

Mais um estranho caso de luzes anómalas registadas em pleno oceano, voltam à polémica entre crentes e cépticos nas rede social, criando um debate frenético sobre a sua origem.

OVNIs "Objectos Voadores Não Identificados", não existem segundo cientistas e Governos.

Indialantic, Flórida  31 de agosto de 1994, hora 20:30.
Caso: 87314 Mutual UFO Network MUFON Massachusetts.


Testemunha...
"I have a video I took in the early 90's of what the air force said the next day in the Florida Today were helicopters off of indiatlantic 20 miles offshore dropping flares in an excersize by a squadron that didn't exist any longer.Many people along the beaches apparently called in to the police.The issue with that story is I have video of the incident from 20 miles offshore- time and date documented as well as loran coordinates ( before gps).The video shows the loran, the afternoon fishing activities, and clusters (5 clusters I believe) of 2-4 bright lights materializing and disappearing- fading in and out.There were no helicopters anyplace and I know what flares look like, these had no parachutes, no smoke trails and did not lose altitude -- they were not falling.I never shared publicly - I mean claim the airforce was lying??... and still don't want scoffing or ridicule.. however this video clearly shows it's NOT what the Air Force reported that day with an air force squadron that was disparagedyears before as publicly announced in The Florida Today Sept 1 1994. I can't say what it was, but shows what it wasn't.An hour or so earlier there was a C-130 making low passes and circling in another area.I did not video that -- we were fishing.I suspect the military did know what this was, but flares they are not, or helicopters.These lights are in the same config as many other lights and sightings including the Phoenix lights and reports going back hundreds and thousands of years".

Conferência Caldas da Rainha actualização

Informamos que houve uma pequena alteração na lista de oradores. Tivemos conhecimento de que o Prof. Dr. Joaquim Fernandes não poderá comparecer, por motivos pessoais alheios à sua vontade.

Em sua substituição, contaremos com a Dra. Frederica Armada (filha da Dra. Fina D'Armada), que assumiu a responsabilidade de apresentar o mesmo tema tendo também ela participado nas filmagens de um  episódio de "Extraterrestres?"  Este episódio devido ao seu teor  acabou por ser  censurado em Portugal. Venha saber porquê.

Sábado 02 Dezembro, ás 17:00 no Centro Cultural e Congressos de Caldas da Rainha. Inscrições grátis em: www.exopoliticsportugal.org/conferencia2017

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Brasil, Vilhena 40 anos: a estranha estória do OVNI que teria trazido professor paulista para a cidade

Vilhena, 1974: ruas de terra e um aspecto de velho oeste no casario primitivo. O que um OVNI (Objeto Voador Não Identificado) faria aqui naquele ano? Quem sabe dar uma mãozinha na povoação do arraial. Brincadeiras à parte, o lugarejo de somente 300 habitantes foi palco de uma história que hoje pode ser ironizada, mas que na ocasião ganhou a mídia nacional.

Veículos de comunicação como O Cruzeiro (a mais importante revista da época) e a Folha de São Paulo, estiveram em Vilhena para investigar o suposto sequestro de um professor de Campinas, no interior de São Paulo, que teria sido trazido para cá por uma nave espacial.

A história é lembrada por Gilberto Barros de Lima, 72. Naquele ano ele era o agente distrital de Vilhena (o cargo mais importante do lugarejo) e narra que um rapaz de 28 anos foi encontrado de bruços, por volta das 6h da manhã de um sábado, na avenida Major Amarante. Alguém tentou acordá-lo, mas ele estava completamente inerte. O então “prefeito” (Gilberto era tratado assim) foi chamado para tomar uma providência. Ele determinou que o desconhecido fosse levado para o hospital, onde tomou uma injeção e voltou em si.

No bolso do rapaz foi encontrado o número de um telefone. Gilberto Barros conseguiu, “depois de muito sacrifício”, falar com seus pais em São Paulo. Eles ficaram boquiabertos em saber que o tal professor estava em Vilhena. Como? Se viesse de carro, demoraria no mínimo cindo dias para chegar e, na noite anterior, nenhum avião havia aterrissado aqui. E o detalhe: suas roupas estavam absolutamente limpas, como se não tivesse enfrentado uma viagem de três mil quilômetros. 

Os pais do “sequestrado” eram de classe média e chegaram em Vilhena no mesmo dia, de avião. Eles informaram que o rapaz não era epilético, como inicialmente se cogitou, e muito menos estava maluco. Já acordado, ele disse não se lembrar de nada o que ocorrera. Contou apenas que sua última parada foi numa agência do Bradesco, em São Bernardo, de onde sacou 320 cruzeiros (o dinheiro no bolso dele quando foi achado). O Fusca em que estava também foi encontrado na porta do banco.

Não passou disso. Ficou o dito pelo não dito. Mas, mesmo passados 24 anos (já em 1998), Gilberto Barros ainda se intrigava com a história. “Aqui não tinha nada que pudesse atrair um extra-terrestre. A não ser que fosse justamente por isso que o ET resolveu ajudar povoar a cidade”, brinca o bem-humorado Gilberto, depois  diretor do Procon e hoje morando em Cáceres (MT). “Só lamento em não ter anotado o nome do rapaz para acompanhar o desenrolar do caso”, conclui.

www.rondoniadinamica.com