domingo, 28 de junho de 2015

Pedra achada na PB Brasil pode ser registro inédito de material extraterrestre no estado

Uma pedra muito brilhosa com tons de azul e verde chamou a atenção do operário Jonas Tiburtino Nóbrega, de 32 anos, quando ele caminhava numa estrada estadual na Zona Rural do município de São Mamede, no Sertão da Paraíba, a 283 quilômetros de João Pessoa. O achado, que pode ser o primeiro material extraterrestre encontrado na Paraíba, foi localizado na sexta-feira (19), mas ele só informou nesta sexta (26).
Jonas, que trabalha na operação tapa-buracos do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), contou ao Portal Correio que encontrou a ‘pedra’ numa área próxima a uma serra. Ele falou que a viu de longe e ficou curioso e encantado com o brilho. “Ela estava meio enterrada e somente uma parte estava à vista. Como era pouco depois do meio-dia, o sol estava forte, fazendo com que ela brilhasse muito. Isso me chamou a atenção”.
Curioso com a beleza do que chamou de ‘pedra’, Jonas levou para casa e a mostrou aos familiares. Eles resolveram pesquisar sobre aquilo na internet. Foi aí que descobriram que poderia se tratar de um fragmento de meteorito.
O trabalhador contou que essa foi a primeira vez que passou pela área onde encontrou o material e depois de descobrir a possibilidade dela ter caído do céu, resolveu procurar uma emissora de rádio de Patos, que fica na mesma região de São Mamede, para divulgar e passar o material para que fosse estudado por especialistas.


Fragmento de meteorito
O membro da Associação Paraibana de Astronomia, Marcelo Zurita, disse que pode tratar-se de um fragmento de meteorito pelo aspecto e formato do material encontrado por Jonas, mas ele afirma que a certeza só viria após análise detalhada do material.
De acordo com o astrônomo, se for comprovado tratar-se de fragmento de meteorito, será o primeiro material extraterrestre localizado na Paraíba. O astrônomo informou que no Brasil existem registrados cerca de 70 achados que foram analisados e considerados como fragmentos de meteoritos.
No entanto, Marcelo acha que, se for meteorito, esse fragmento não deve ter caído após a passagem de um meteoro pelo céu do Sertão no mês de abril deste ano. “O meteoro do mês de abril passou ao sul do município de Patos e esse material, conforme relatado pelo trabalhador, foi encontrado ao norte”, analisou.
O astrônomo não descarta a possibilidade da ‘pedra’ ter caído em outro local e ter, de alguma maneira, se deslocado para lá, porque pelo tamanho e pelo peso dela, que ele acredita ter em torno de 3 kg, os estragos feitos seriam visíveis no terreno, já que a velocidade atingida por esses fragmentos fica em torno dos 200 quilômetros por hora.
Marcelo disse ainda que acredita que o achado possa atrair o interesse do Museu Nacional de Rio de Janeiro, que é o órgão que faz a certificação dos fragmentos de meteoritos encontrados no Brasil.
Quanto ao meteoro de abril, Marcelo acredita que possa existir ainda fragmentos pela região de Patos, resultantes desse recente fenômeno astronômico.


Rondinelli: Espero que esse material seja pesquisado e não seja vendido pra fora ficando aqui em território Brasileiro!

sábado, 27 de junho de 2015

DOIS OVNIS AVISTADOS EM IMAGENS DA NASA

Pela segunda vez este ano, um vídeo que mostra dois objetos voadores não identificáveis a deixar a terra. 
Como não podia deixar de ser, os amantes de teorias de conspiração entraram em alvoroço.

As imagens foram capturadas por uma câmara da NASA, que filma e difunde em tempo real, e mostram dois pequenos objetos a ascender no horizonte da Terra.
Nesse momento, a transmissão em direto é cortada.
Normalmente isto acontece quando há uma mudança de câmara sem sucesso, ou o sinal entre a Estação Espacial Internacional e a Terra perde-se.

Apesar de haver várias explicações lógicas – como serem dois satélites – muitos dizem ser muito suspeito a emissão ter sido cortada, acusando a NASA de ter sido um corte propositado para esconder a verdade.
A outra explicação é a de que as imagens podem ser forjadas, já que agora é quase impossível aceder ao vídeo original.

Qualquer que seja a explicação, mais uma vez os amantes da conspiração voltam à carga, acusando a NASA de já não ser a primeira vez que encobrem a existência de extraterrestres, algo que dizem já acontecer desde os anos 60.


Mais recentemente, os teóricos já se apoiam em achados arqueológicos, graças à crescente presença em Marte.
O robô “Curiosity” atiçou as chamas dos média com imagens do que parece ser uma pirâmide no Planeta Vermelho.
A não ser que a NASA gaste preciosos recursos a explorar melhor está hipotética pirâmide, nunca saberemos ao certo se há ou não vida “lá fora”.

Crédito

Avistamento e vídeo de OVNI em Coastal Highway - Florida - EUA

Debbie Whaley, gerente do Hotel Ocean Sands Beach na Costa Highway, Florida, EUA  não  é convicta em ovnis, mas acredita que algo se passa lá fora.

O último incidente foi relatado a Debbie por um casal que se hospedou no hotel que garante ter visto na semana passada uma luz desconhecida controlada sobre Vilano Beach, bem próximo do hotel.

Uma outra testemunha relatou o avistamento ao vídeo enviado pelo canal de notícias local First Coast News.

Falavam de uma única luz se movendo no céu que "apareceu para mover de uma maneira controlada", "descartando serem lanternas chinesas".

Ms Whaley disse: "Esta não é a primeira vez que os hóspedes têm relatado observações de OVNIs."

Conta que o último avistamento deixou o casal assustado.

"Este casal testemunhou a presença dessas luzes, quando repentinamente essa luz sobrevoo mesmo sobre eles, os deixando muito assustados.".

Debbie teve conhecimento de muitos outros avistamentos retransmitidas a ela por habitantes locais e clientes na área.

Em Dezembro passado 2014: "Algumas pessoas me ligaram a relatar o mesmo tipo de situação, luzes que se movimentavam de forma irregular deixando as pessoas assustadas e alarmadas.

Debbie acredita que os militares e a NASA sabem do que por ali anda, tentando rastrear estas luzes como tentativas de perseguição.

 Há algo lá fora, além dos barcos de camarão"



Caso interessante com detalhes muito similares ao observado e registado recentemente no Alentejo "Alcácer do Sal".

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Observação em Albergaria - A - Nova "Portugal"

Ilustração 
Localização - Albergaria - A- Nova

Data, hora - 20/06/2015 - 23:00

Testemunhas - Sr. Js e namorada...

Segue o relato da testemunha....

Serve a presente mensagem para vos relatar um evento que penso ser categorizado como UFO e que observei na passada noite de 20.06.16, por volta das 23.00h na zona da Branca (Albergaria -a - Nova).

O evento foi presenciado por mim e pela minha namorada.
Passo a  descrever de forma sucinta

1. Condições de observação favoráveis, céu noturno praticamente limpo.

2- Descrição do fenómeno

A) Aparecimento de um ponto brilhante, de pequena dimensão,emitindo luz amarelada, deslocando-se aparentemente em movimento retilíneo a grande velocidade, sentido norte sul ( ou este -oeste!).
A velocidade a que o "objeto" se deslocava era demasiado elevada para ser associada a uma propulsão a jacto.
Este evento não suscitou acrescida surpresa, embora, como disse, a velocidade aparente fosse muito elevada, mas pensei ser algum corpo celeste que se deslocava a enorme distância em relação à Terra .

B) Alguns minutos depois começaram a surgir, na mesma direção e sentido, um conjunto de "estrelas" móveis claramente visíveis, emissoras de luz branca pulsante, seguindo trajetórias mais ou menos regulares, com uma velocidade aparentemente menor do que o objeto inicial.
Estas estrelas iam-se concentrando em "cardume ou enxame" como preferirem, numa zona delimitada do céu para aí se agruparem.
O tempo de chegada não era simultâneo para todas estas "estrelas", que aparentemente desacelaravam ( ou alteravam o movimento retilíneo ,  para uma trajetória ascendente), sempre claramente  visíveis e formavam um aglomerado de várias dezenas de unidades que pulsavam, muito brilhantes.
Durante dois ou três minutos pareciam ter estacionado

C) Ainda tentámos os telemóveis para obter um registo visual do evento, mas já não fomos a tempo de registar nada, dado que os pontos brilhantes começaram a diminuir de intensidade luminosa e a resolução da imagem era cada vez menor, sem possibilidade de focagem.
Por fim desapareceram....

D) Tenho como certo que o movimento destas " estrelas" não era aleatório, tinha algum nível de coordenação dentro do grande grupo "enxame", mas não consigo associá-lo a qualquer sistema de propulsão conhecido!


Por último, quero dizer-vos que tenho pesquisado a ocorrência de eventos desta natureza.
Tanto quanto me parece, não abundam, mas deixo-vos aqui um relato similar, para que retirem as devidas ilações.
Este diagrama elaborado por uma testemunha de um evento "semelhante" é muito aproximado no que toca à concentração dos pontos cintilantes na zona delimitada do céu.
Aqui fica

Ufo Portugal

Se observou este fenómeno queira entrar em contacto connosco via ( ufo_portugal@sapo.pt ), descreva-nos a sua observação com todos os detalhes do que viu ou se obteve imagens queira nos enviar.

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Leiria-Nazaré -Fenômenos inexplicáveis

 23/06/2015
23h 30m - Cai  meteorito  em  Nazaré
 1h 20m - Objeto luminoso estranho passa  em  alta velocidade de sul para norte
2h-Aparecimento de 4 bolas  luminosas durante seg.



terça-feira, 23 de junho de 2015

JIPE-SONDA CURIOSITY ENCONTRA PIRÂMIDE EM MARTE

O jipe-sonda Curiosity, da NASA, que se encontra em Marte, tem enviado muitas imagens instigantes à Terra, e agora encontrou uma rocha em forma de pirâmide.

Neste caso, pode-se descartar a pareidolia, pois a imagem é bem clara e não deixa sombras de dúvidas.  Mas poderia esta forma geométrica ser o resultado de algum processo natural, ou seria algo feito artificialmente?



A imagem, que foi obtida em 7 de maio, deixou alguns estudiosos do fenômeno dos OVNIs com a pulga atrás da orelha, com alguns alegando que se trata de prova de que a vida inteligente, pelo menos há algum tempo no passado, existiu no planeta vermelho.

Estima-se que a pirâmide tenha o tamanho aproximado de um carro compacto, mas não se sabe qual a dimensão do restante deste objeto abaixo do solo.
                          
A imagem original pode ser encontrada no seguinte endereço: http://mars.jpl.nasa.gov/msl-raw-images/msss/00978/mcam/0978MR0043250040502821E01_DXXX.jpg

Apesar da simetria apresentada pelo objeto, aparentemente não foi o suficiente para despertar a curiosidade da NASA, pois nenhuma das outras imagens subsequentes do jipe-sonda, que são obtidas em intervalos de 20 a 30 segundos, incluem novamente a pirâmide. (Ver imagens do mesmo lote ao final da página no seguinte link: http://mars.nasa.gov/msl/multimedia/raw/?s=#/?slide=978

Veja abaixo um vídeo (em inglês) publicado no YouTube, sobre esta formação: https://www.youtube.com/watch?v=nz2zVsf3_mg






sexta-feira, 19 de junho de 2015

A NOITE EM QUE PORTUGAL FOI INVADIDO POR OVNIS DE NORTE A SUL


QUANDO A NOITE SE FEZ DIA EM 1979, CASO INÉDITO QUE CONTOU COM A INTERVENÇÃO DA PUFOI.

A PUFOI tem estado a proceder à reanálise do essencial dos acontecimentos de algumas observações da casuística portuguesa, que embora já tenham sido classificadas na época do seu registo, suscitam um outro "olhar", cimentado em novas perspectivas e novos conhecimentos.

Os fenómenos tipo "vaga" (como é o caso presente em análise) e os testemunhados e reportados por pilotos civis e militares, merecem, sem dúvida, este procedimento.
Assim, surgiu o Caso de 15 de Julho de 1979, pelo facto de apresentar caraterísticas variadas e larguíssimo número de testemunhas.

FICHA DO CASO

Local: De norte a sul de Portugal continental e zona fronteiriça espanhola de Valência de Alcântara.
Data: 15 de Julho de 1979
Hora: Sensivelmente entre as 00,00h e as 3,30 h (embora haja referência a observações anteriores às 00,00h).
Distância: A cerca de 50 metros, na observação mais próxima (Chamusca, Ribatejo); talvez a vários quilómetros, nas observações mais afastadas.
Duração: Em geral, curta (poucos segundos), mas de alguns minutos, mais raramente.
Caraterísticas gerais do fenómeno: Forte luminosidade de cor clara, por vezes azulada.
Massa globular em deslocação rectilínea, deixando rasto luminoso, extinguindo-se poucos segundos depois.

Flaches de luz dirigida e muito intensa.
Velocidade, de lenta a muito rápida.
Testemunhas: Alguns milhares.


DESCRIÇÃO

Em 15 de Julho de 1979, os céus de Portugal apresentaram um conjunto de manifestações luminosas que, devido, por um lado, à sua elevada amplitude geográfica e por outro, a diferentes caraterísticas, nos leva a deduzir que, muito provavelmente, estivemos na presença, não de um único fenómeno, mas de vários fenómenos aéreos.
Também o facto da duração das observações ser variável reforça esta ideia (ver mapa).


Para além das observações a longa distância, temos um conjunto de relatos, como o já citado na Chamusca, e o de Portimão, onde um guarda nocturno afirmou ter observado um objecto circular, com cerca de 5 metros de diâmetro, a uns 250/300 metros de distância.

Depois, há também situações de objectos de forma esférica, estacionários, como o observado em Tomar – uma forma rectangular na vertical, de contornos mal definidos, que se "apagou" no próprio local onde se encontrava.

Houve luzes ou objectos que surgiram antes ou depois de um clarão, referido por inúmeras testemunhas. Em V. N. Gaia, cinco minutos depois da passagem de um fenómeno tipo "bólide" (meteoro rápido), apareceram várias luzes de forma geométrica, em velocidade mais lenta.
Em Alcácer do Sal, um automobilista primeiro observou um objecto a grande velocidade e pouco depois outro ainda, de forma alongada, que parecia perseguir o primeiro, mas animado de velocidade superior, até que o segundo objeto alcançou o primeiro, prosseguindo juntos 4 a 5 segundos, até se extinguirem.

Há relatos com audição de ruídos, como por exemplo em S. Martinho do Porto, Leiria, onde alguns jovens, após a observação do fenómeno, afirmaram ouvir um ruído surdo e prolongado, numa frequência baixa.
Em Alcobaça, um automobilista foi encandeado pela luz, e meia hora depois, já nas Caldas da Rainha, soube que moradores tinham acordado à hora da sua observação com um barulho estranho, tipo "portas a bater".
No Porto, o clarão, com o diâmetro da Lua, foi seguido por uma longa cauda 3 a 4 vezes maior; durante a passagem do fenómeno a testemunha teve a sensação de ouvir um ruído tipo zumbido ou sopro, pouco discernível, em crescendo e decrescendo.
Em Torres Novas, Nazaré, V. N. da Barquinha e Torres Vedras, o clarão é acompanhado de um forte barulho.
Em Castro de Aire, uma bola luminosa desfez-se com um ruído.
Todos estes relatos apontam para uma possível onde de choque causada pela passagem do fenómeno.

Existem ainda outros pormenores, como os odores sentidos nalguns locais. No Restelo, Lisboa, o clarão tremeu com "flashes luminosos" e sentiu-se "um cheiro esquisito" no ar.
Na Tapada da Ajuda, também em Lisboa, as testemunhas afirmam ter visto um objecto parado no ar, que, após desaparecer, deixou um "intenso cheiro a enxofre queimado".

Também há a registar casos de possíveis interferências eléctricas, relacionadas com o fenómeno (ou fenómenos) aéreo.
Em Pegões, o emissor de onda curta da RDP registou às 2,30h um corte de energia com a duração de 3 minutos.
Em V. N. Gaia, um automóvel registou uma diminuição na potência das luzes, e o motor parou.
Em Viana do Castelo, após a passagem do clarão sobre a cidade, toda a iluminação, incluindo a da via pública, se extinguiu, ficando tudo às escuras; a EDP e os Serviços Municipalizados confirmaram o "black-out", que se prolongou até às 3,46h.
Em Tancos, foi visto um clarão amarelo-esverdeado emitindo um ruído tipo motor de combustão, e uma viatura que circulava na altura imobilizou-se por paragem do motor.
E ainda mais espetacular: no Estoril, quatro pessoas deslocavam-se num automóvel quando viram o clarão; nesse momento o veículo "engasgou-se" e os ocupantes ficaram como que, momentaneamente, paralisados.
Momentos antes, o rádio do carro registou interferências na emissão (a questão da "paralisação" referida pelas testemunhas pode ter sido devida apenas a uma reacção psicossomática provocada pela surpresa e medo do imprevisto, do desconhecido!).

Quanto a relatos mais difíceis de explicar, por exemplo, à luz da hipótese meteórica, são de referir os seguintes: uns militares que se encontravam de serviço na zona do radar (portanto dentro do perímetro militar), localizado no topo do monte próximo da Base Aérea nº 2 (Ota), em Montejunto, afirmaram que ouviram, 5 minutos após o aparecimento do clarão, um barulho enorme, e viram surgir inicialmente no ar o que lhes parecia ser uma ponta de cigarro acesa, que eles pensaram ir aterrar.
Ao passar na sua vertical parou ligeiramente e de repente abriu-se uma espécie de "janela", da qual foi emitido um clarão de forte intensidade que incidiu sobre eles e meio ambiente circundante (ver imagem abaixo).


No final da observação, o fenómeno apresentava uma forma charutóide, tendo-se afastado lentamente do local.
A terra tremeu suavemente e alguns cães de guarda ficaram aterrorizados, chegando a fugir.
É de referir que apesar de estarem junto às instalações do radar, este não se encontrava operacional. Também o sucedido em Idanha-a-Nova, Castelo Branco, onde foi observado um objecto muito fino e alto, que esteve parado cerca de 15 minutos, emitiu dois clarões e desapareceu no céu, com uma trajectória ascendente, não será muito fácil de explicar… Em Paço de Arcos, Lisboa, onde foram vistas várias "bolas de fogo", que se transformaram depois num rasto tipo "lágrima", que de repente desceu obliquamente, voltando a subir para depois desaparecer; na zona de Sete Rios, ainda em Lisboa, os observadores dizem ter ficado envolvidos por um cone luminoso, em cujo centro se distinguiam vários pontos luminosos esféricos.

É de referir que uma testemunha, colocada fora da zona iluminada, conseguiu ver a origem da fonte luminosa, que estimou situar-se a uma grande altitude.
Claro que neste caso poderemos equacionar a hipótese da luz ser apenas o forte clarão e os pontos luminosos poderem ter sido provocados pelo encandeamento; finalmente, gostaríamos de referir o caso de Costa da Caparica, observado por inúmeras pessoas junto à praia.
Vejamos o relato, eloquente, de uma delas, que se encontrava com um grupo de amigos: "Vi nitidamente, como se fosse de dia, os pequenos grupos de pessoas à volta das fogueiras pela praia fora.
Eu diria que a luz não fazia sombras.
Tenho a sensação que a claridade banhava tudo e todos sem se verificar a projecção de sombras, como sucede naturalmente.
Voltei a erguer os olhos e a fixar a atenção no objecto que apresentava claramente uma forma circular, e que nesse momento já passava por cima de nós ligeiramente à direita da linha vertical do ponto onde nos encontrávamos (talvez 50 metros à nossa direita).
A luz, de um branco cristalino intenso, jorrava de um espaço central da parte inferior do objecto, mas nada comparado com um feixe de luz concentrada.
Pelo contrário, não se percebia exactamente de que ponto dessa zona central inferior do objecto ela era projectada.
O efeito luminoso nessa área do objecto assemelhava-se mais a uma ténue névoa simultâneamente brilhante e difusa, não permitindo discernir as formas do objecto por cima dela.
Entre a zona do centro, de onde provinha a luz branca, e a área exterior do objecto circular, brilhavam, com intensidade variável, luzes de cores absolutamente fantásticas: vermelhos, verdes, azuis, mas com uma claridade diáfana muito superior à nossa vulgar luz de néon, transmitindo-me
Ota 15 de julho de 1979
uma sensação de profundo conforto.
Por momentos senti o desejo e a ilusão de que seria possível voar ou deixar-me submergir por aqueles brilhos esmeralda, rubis e azuláceos que delimitavam claramente o perímetro daquela coisa voadora. Por esses momentos, deslocando-se o quase por cima do ponto onde estávamos, nem eu nem os outros conseguimos vislumbrar a forma da parte superior do objecto.
Contudo, à medida que ele se foi afastando e quando cruzou a linha das arribas, para no instante seguinte desaparecer do nosso raio de visão, era perceptível que não havia claridade nem nenhuma fonte ou forma de luz no espaço e na área por cima do objecto.
Este, sempre emitindo estas luzes, e num absoluto silêncio, foi-se afastando lentamente da praia, sobrevoou a mata e, mais adiante, passou por cima das arribas, ponto a partir do qual deixámos de o poder observar, ficando a praia de novo no negrume da noite, e nós os três, boquiabertos sem conseguir articular qualquer frase coerente".

De referir ainda que os radares do aeroporto da Portela e da Força Aérea Portuguesa registaram ecos-radar desconhecidos.

INVESTIGAÇÃO / HIPÓTESES
Desde logo, a imprensa, a rádio e a TV, fizeram eco destes acontecimentos, apresentando, estes dois últimos "media", alguns testemunhos em direto, o que transformou o caso num acontecimento nacional.

A maioria da imprensa revelou-se sensacionalista na abordagem do fenómeno, não hesitando em atribuí-lo a manifestações Ovni (embora muito prováveis, como apontam as conclusões do CEAFI e da PUFOI), sem uma análise criteriosa e detalhada de todos os relatos.

A investigação principal foi feita pelo CEAFI (Centro de Estudos Astronómicos e de Fenómenos Insólitos), com sede no Porto, mas com uma vasta rede de núcleos espalhados pelo território nacional, apesar de outras associações congéneres privadas, com menor expressão, terem acompanhado também o caso.

Na tentativa de encontrar explicação para o conjunto de manifestações aéreas relatadas, o CEAFI contactou várias entidades, a saber: o Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (INMG), o Observatório Nacional da Ajuda (ONA), a NASA (Agência Espacial Norte Americana) e o NORAD (Comando da Defesa Aérea da América do Norte).

Relativamente à hipótese de se ter tratado de uma ou mais reentradas de matéria de origem meteórica, esta ou estas deveriam corresponder a corpos de apreciáveis dimensões, dado o tipo de relatos das testemunhas: "Bola de fogo, tipo bólide, rasto luminoso, etc.". Numa análise superficial, caraterísticas comuns a algo que, em rota de colisão, entra na nossa atmosfera. Contudo, é importante referir que o nosso planeta é bombardeado diariamente com cerca de 25 toneladas de partículas cósmicas, normalmente inferiores a um grão de areia, que se desfazem ao "tocarem" a nossa atmosfera e por essa razão invisíveis aos nossos olhos.

Por ano, a estimativa refere cerca de 30.000 fragmentos com um peso igual ou superior a 100gr. Destes, aproximadamente 100, possuem um peso igual ou superior a 10Kg e mesmo assim muito raramente chegam ao solo e nunca apresentam clarões deslumbrantes e dignos de grande referência. Um meteorito é um fenómeno comum mas fugaz, que dura escassos segundos.

Recapitulando, a nossa Terra é bombardeada 24 horas por dia, 365 dias por ano, por milhões de corpos meteóricos de origem natural, sendo muito raramente atingida por fragmentos que constituam notícia, por via do seu comportamento espetacular e isso traria consequências visíveis, o que não foi o caso.

Falou-se na possibilidade de se tratar do "enxame Delta Aquáridas", cujo pico se situa nos finais do mês de Julho, entre os dias 28 e 30, mas que em algumas tabelas se lhes dá um alargamento temporal de cerca de dez dias para a frente e para trás.
Torna-se necessário explicar então o seguinte: Por volta de 15 de Julho, o pico de chuvas de meteoros (a altura em que existem muitas mais), será relativo às "July Phoenicids" e não às referidas "Delta Aquáridas".
No entanto, tradicionalmente, esta chuva de meteoros muito raramente é visível.
Pode, no entanto, ter acontecido um ano excepcionalmente bom em determinado local.

Ainda sobre 15 de Julho, uma coisa interessante nessa data, é que apanha muitas chuvas de meteoros ao mesmo tempo, umas delas a começar, outras delas a acabar.
É óbvio que a começar e a acabar vêem-se muito poucas, fora do pico são noites normais de ver estrelas cadentes.
No entanto, sendo uma data com tantas chuvas de "estrelas a cair", pode-se pensar que através da propriedade da acumulação, as pessoas podem ver estrelas cadentes em diferentes posições do céu, podem pensar que é só uma chuva de estrelas, mas poderá ser o acumular de várias, sendo uma estrela cadente de uma, outra de outra, outra de outra e assim sucessivamente (*).

Resumindo, a hipótese meteórica será remotamente possível, e a corroborá-lo, está a reacção do responsável do Observatório Nacional da Ajuda, que, contactado pelo CEAFI, diria que provavelmente se trataria de um meteorito, dado que se estava na época das "Delta Aquáridas".

Se de facto se tivesse tratado de um fenómeno meteórico (ou de vários) com essa grandeza e amplitude, seriam essas mesmas entidades a dar a notícia aos "media", sem necessidade de responderem (descartando-se claramente da situação), apenas quando solicitados.
Daí a hipótese meteórica perder grande valor, sem no entanto ser posta de parte.

Por sua vez, quer a NASA, quer o NORAD, afastam a possibilidade de se tratar de "lixo" da estação espacial "SKYLAB" (como chegou a ser aventado), que se desintegrou sobre o Oceano Índico, no dia 11 de Julho, portanto, quatro dias antes destes fenómenos relatados (ver respectivas cartas de resposta no final do texto).

Foram estas as conclusões a que a equipa da "PUFOI" chegou.

(*) - Nesta análise contribuiu o parecer do Astrónomo Carlos Oliveira, da Universidade do Texas.

CONCLUSÕES FINAIS
Pode-se concluir portanto que, num período de tempo bastante alargado, o espaço aéreo nacional foi sobrevoado por um ou mais artefactos voadores não convencionais e de característica e comportamento incomuns e claramente artificiais, percorrendo o território de norte a sul, tendo sido detectado/s por alguns milhares de pessoas, interferindo directa ou indirectamente (focos de luz projectada).

É possível que em simultâneo tivesse sido observado um ou mais meteoritos mas, como já foi referido, essa situação teria sido irrelevante, face ao evento descrito.

Gostaríamos de referir ainda que a "PUFOI", após esta análise procurou saber a opinião final de cada um dos seus três elementos activos, que para o efeito, teriam 33%, como valor máximo para classificar o evento em questão.

O resultado que cada um deu a conhecer individualmente e sem o conhecimento prévio de cada um dos outros elementos, concluiu, em termos percentuais, que o caso aponta para os 90% de probabilidade de se ter tratado de fenómenos aeroespaciais desconhecidos. Os restantes 10% poderão incorporar outras hipóteses.

Porto, 7 de Abril de 2015
A PUFOI
Desta forma queremos aqui mostrar ao povo português que no passado não existiam balões com luzes led´s!
Estes fenómenos ainda ocorrem em Portugal embora com menor intensidade.
A cima um excelente trabalho realizado pelos colegas da PUFOI na época.

Se observou um OVNI ou tem conhecimento de algo que queira partilhar connosco, escreva-nos para: ufo_portugal@sapo.pt

Bola de luz no céu de Leiria-Fátima e 4 OVNIS em Leiria-Nazaré

quinta-feira, 18 de junho de 2015

AVISTAMENTO DE OVNIs EM BÉJA A 20-FEV-1998

Nome da Testemunha: Diogo Graça
Data da Observação: +/- 20 de Fevereiro de 1998
Hora: 20/21 Horas (já de noite)
Localidade: Beja
Visibilidade: Excelente visibilidade
Estado do Tempo: Céu limpo

Relato feito pela testemunha:
"Estava eu na janela da minha cozinha (com uma vista para o céu e arredores da cidade, extremamente grandes) quando vi um objecto a pairar no céu, a cerca de 6/7 kms de distância perto da localidade chamada Santa Clara do Louredo, a mais ou menos 200 metros de mim.
Era um objecto de cor amarelo torrado e não era um só objecto na realidade, visto aos binóculos eram dois juntos um ao outro.
Vi que o objecto estava parado no céu porque lembro-me de ver um avião a passar-lhe por trás (mas longe) o que deu para comparar o movimento dos dois objectos, dava para ver que um estava parado e outro a mover-se.
Passados uns 3 minutos, uma dessas luzes apaga-se "devagar" levando uns 5 segundos a apagar-se, ficando só a outra luz no céu também parada, até que passados uns 10 segundos esta apaga-se e aparece outra destas luzes (duas juntas) ao lado direito a uns 400 metros da primeira luz e apagou-se rapidamente não ouvi qualquer barulho, vi estas luzes durante uma semana até que se "extinguiram" e nunca mais as vi.
Um amigo meu do mesmo prédio que o meu viu uns objectos meses antes no céu de cor verde e amarelada mas movendo-se muito depressa no céu e aos zigezages mais a cima do local onde vi eu próprio os objectos.
Estes acontecimentos foram vistos em companhia de pessoas da minha família e tirei fotos.


Após ter visto os objectos, um dia lembro-me de ter visto algo como um asteróide a desintegrar-se por cima das nossas cabeças mas muito alto e não era uma estrela cadente, penso eu, porque desintegrou-se aos pedaços e era cinzento azulado)".

Fonte 

Três Objectos Voadores Não Identificados observados na Roliça - Bombarral

ilustração
Três objectos Voadores Não Identificados são observados por duas testemunhas em que ambas constatam que não existe luz dos mesmos.
Notando somente o vulto destes em voo sem produzir qualquer ruído.

Relato da testemunha ...
Passei com os olhos pelo vosso site, e só por curiosidade vou relatar uma observação efectuada este ano , em data que de momento não me recordo, entre 7 e 9 de Março.

Deviam ser 2:30 horas da madrugada, estava eu e a minha mulher a fumar um cigarro na porta da cozinha que dá para as traseiras da casa.
A noite era de luar, eu estava de pé a olhar na direcção Norte e ela estava agachada a olhar na direcção Poente, quando vi ao longe duas formas redondas, negras, ausência de qualquer luz, que se aproximaram num plano de voo e passaram mesmo por cima de nós sem fazer qualquer barulho.

Passaram a uma altura relativamente baixa, vinha um à frente e o outro logo a seguir, como se diz em termos aeronáuticos “ na asa” .
A minha esposa diz que existia um terceiro, que eu não vi, que estava mais afastado e que se aproximou dos restantes.
Ainda fui à  janela da frente da casa para ver se via mais alguma coisa, mas estava tudo normal. Entretanto por medo entrámos dentro de casa para ir dormir.
Eu vivo na Roliça, concelho de Bombarral.
Os objectos vinham provavelmente da zona de Óbidos e foram na direcção da aldeia da Columbeira (Bombarral), ou seja Norte-Sul.

Cumprimentos

"De salientar que não é a primeira vez que o Ufo Portugal, recebe este tipo de relato onde as testemunhas observam somente o vulto de algo a voar sem produzir qualquer tipo de ruído".

3 OVNIS filmados a OESTE de LEIRIA-NAZARÉ


                                                                 17-06-2015
                                                   23h 15m, 23h 40m e 4h 26m

quarta-feira, 17 de junho de 2015

Avistamento na Praia das Ratas - Setúbal 1976


Pescadores desportivos começaram por observar um conjunto de seis luzes cor de laranja, muito nítidas, deslocando-se na direcção poente - nascente.

A dado momento, o fenómeno parece parar e desloca-se na direcção deles.
Vêem, então, um vulto escuro, em forma de ovo, com uma luz encarnada na parte superior e mais seis luzes cor de laranja bastante forte, tipo pisca-pisca dos automóveis.

A proximidade do  objecto (menos de 200 metros), e o facto de não produzir qualquer ruído, levou a que um dos pescadores entrasse em pânico, tentando fugir de cima da rocha onde se encontrava.
O diâmetro deste objecto seria de cerca de 10 metros e a sua altitude próxima de 30 metros.
Não havia vento, o mar estava calmo e a noite estrelada.
Depois, o estranho objecto deslocou-se em direcção a Tróia, muito lentamente.
Próximo desta pequena ilha, tomou uma grande velocidade e desapareceu.

"Foi a pouco mais de 200 metros deste local que o vi" - testemunhou o Sr. José Pinto - fiscal da Câmara Municipal de Setúbal e pescador desportivo

Credito 

Bola de luz no céu de Leiria-Fátima

16/06/2015 ás 22h 30m
Objecto voador não identificado aparece  no céu de Oeste para Este  de Leiria-Fátima 

 

sexta-feira, 12 de junho de 2015

Crop Circle na Rússia desperta curiosidade

Círculos misteriosos apareceu num campo de trigo em Adygea

A estranha formação de círculos tem despertado atenção de curiosos e gerou um debate aceso nas redes sociais.
Não existe muita informação disponível acerca deste Crop Circle, apenas que foi descoberto no dia 7 de Junho junto a uma movimentada estrada em Adygea na Rússia.

O diâmetro do círculo maior  é de aproximadamente 13 metros com metro e meio do centro à extremidade.
Seguindo um conjunto de quatro círculos... Segundo os residentes no dia anterior ainda pelas 22 horas o cultivo de trigo estava intacto sem qualquer anomalia!
Ninguém consegue atribuir uma razão ou causa de tal formação, que deixou o proprietário do terreno perplexo com a descoberta.
Os curiosos que se deslocam ao local a fim de obter fotografias, parecem não incomodar o proprietário pela simplicidade de que o mesmo está intrigado com a situação.
Pois não é todos os dias que se vê uma coisa destas conta "Sergei Anisimov", que ainda tentou alugar um avião para ver do ar o Crop Circle, mas que devido a mau tempo não foi possível realizar o voo.

Não se pode apurar se foi obra de OVNIs, entidade extraterrestre ou feito pelo homem...

OVNI aparece a Norte de Londres


Objecto Voador Não Identificado aparece em zona rural de Inglaterra, deixando testemunhas confusas sem respostas para tal observação!

Este incidente ocorreu na noite 7 de Junho a Norte de Londres mais própriamente nas imediações da cidade "Essex", várias testemunhas de locais diferentes alegam ter visto o que acreditam ser um OVNI, uma estranha luz no céu que lhes terá despertado atenção.

Waller uma das testemunhas, conta no Facebook que estava a conduzir o seu carro por volta das 23:00h quando também ele próprio testemunhou aquela misteriosa luz!
Inicialmente pensou ser um helicóptero mas o comportamento e ausência de ruído o afastou dessa teoria.
Ao chegar a casa reparou que a luz tinha simplesmente desaparecido.
São várias as pessoas que procuram uma explicação para o que observaram, mas sem uma resposta plausível fundada até ao momento.

terça-feira, 9 de junho de 2015

LANÇAMENTO OFICIAL DIA 12 DE JUNHO DURANTE O III FÓRUM MUNDIAL DE CONTATADOS, EM PORTO ALEGRE "BRASIL"

A grande novidade desse livro é que serão apresentados casos inéditos na literatura ufológica mundial, além de outros pouco conhecidos pelo grande público brasileiro.
Estes casos inéditos me foram enviados pelos ufólogos que os pesquisaram.
Dentre os casos inéditos, temos um ocorrido em Luque, no Paraguai, em 2009, durante o apagão que atingiu o Brasil, Paraguai e Argentina.

Objetos voadores não identificados foram relatados momentos antes do blackout.
Teriam sido eles os responsáveis?
Entre os clássicos que você encontrará neste livro, cito o avistamento de mais de 500 UFOs sobre a cidade de Farmington, no Novo México, EUA. E que reação esperar quando você está em uma bela praia em Lomé, no Togo, e um OVNI a pairar sobre o oceano e causar um tsunami?
Isso ocorreu em 1974.
Em 1972, militares uruguaios guarneciam a Ilha de Lobos, quando um OVNI pousou e foi recebido a tiros.
Mas há casos ainda mais espetaculares, alguns com as fotos do objeto.
Por exemplo, em 1960, em Córdoba, na Argentina, um capitão da força aérea argentina fotografou um OVNI a poucos metros de distância.
Suas fotos são consideradas até hoje como autênticas.


Em 1977, em Petrozavodsk, na Rússia, um objeto em forma de água-viva surgiu sobre a cidade. Milhares testemunharam o fato.
Vários prédios e janelas foram danificados.
Evidências físicas do evento encontradas.


E o que dizer de uma partida de futebol que foi interrompida na Itália por causa de um OVNI?
Isso aconteceu sobre o estádio da Fiorentina, o antigo Ardico Magnini, em 1954. Cerca de 10 mil torcedores silenciaram-se ao ver o objeto.
Os jogadores pararam de correr e a bola não rolou mais na relva naquele dia.
Esse continua sendo o objetivo desse livro, levar aos leitores o que a ufologia tem de mais espetacular.
Nenhum caso é igual ao outro.
Pode haver semelhanças, o objeto pode até ser o mesmo, mas a reação das testemunhas, as imagens, a receptividade da sociedade fará sempre que cada caso seja único.
Desafio a você a embarcar nesta viagem por alguns dos eventos ufológicos mais marcantes de todos os tempos.

Thiago um dos mais conceituados investigadores brasileiros com intervenção no History Channel tratando o assunto com a máxima seriedade.
Certamente um livro a não perder.

segunda-feira, 8 de junho de 2015

Mais um fim do mundo?

Teorias da conspiração preveem um evento catastrófico que poderá destruir a civilização dentro de poucos meses. Segundo as previsões do “fim do mundo”, defendidas por blogs e sites, a queda de um asteroide no nosso planeta pode acontecer entre 22 e 28 de setembro deste ano. As informações são do The Mirror.

Muitos teóricos bíblicos acreditam que haverá um evento que marcará “sete anos de angústias” para o ser humano. No entanto, cientistas já desmentiram tal crença, restrita a pequenos grupos de religiosos.

A NASA possui sistemas de detecção de asteroides de alta capacidade. Um porta-voz da Agência Espacial americana afirmou que “não há algum objeto tão grande se aproximando da Terra em centenas de anos”.


Felizmente para a humanidade, os asteroides são destruídos em contato com a atmosfera, devido ao extremo aquecimento que os quebram em pedaços inofensivos – que se queimam antes de bater no chão.

Rondinelli: Mais uma data de fim do mundo. Pensei em não ouvir falar sobre o tema por alguns meses, mas sabem como é sempre tem um doido que vê uma oportunidade em tudo! Criam sites na internet, vendem produtos e ganham um monte de seguidores pelo mundo. Tem também os loucos religiosos que vão buscar sinas em livros sagrados como a Bíblia e saem por aí gritando: O fim está próximo! Arrependam-se! Tenho pena desse pessoal.
Todos os anos caem toneladas de rochas vindas do espaço e acredito não será dessa vez que seremos extintos. Claro que um dia uma pedrinha dessas poderá cair sobre em algum lugar da terra trazendo o pior pra civilização do nosso planeta, só que não será em Setembro.
Com toda a certeza estaremos aqui depois dessa data aturando essas idiotices que tem por aí! Grato.

sábado, 6 de junho de 2015

Filme da NASA com 40 anos revela OVNI em solo Lunar

É do conhecimento público de que agência espacial americana NASA, ao longo dos anos tem vindo a manipular imagens "fotos e vídeos", de forma a encobrir inúmeros objectos estranhos nas suas explorações espaciais.
O mesmo acontece quando a própria NASA dá a sua palavra de que os OVNIs não existem, confrontando os astronautas que afirmam que os OVNIs existem!

Um dilema que leva a população mundial a pensar verdadeiramente bem no assunto!
Quem fala a verdade sobre o que se está a passar! Astronautas ou NASA?!

Portanto... Se os OVNIs não existem, então o porquê da NASA adulterar imagens lunares e mesmo em Marte!
O que levou a NASA a simplesmente desistir regressar à Lua!

Os teóricos da conspiração afirmam ter encontrado o que acreditam ser um um OVNI na Lua gravado por um dos astronautas da Apollo 15.

O vídeo original da NASA com Jim Irwin, o oitavo homem na lua, que passou a se tornar um cristão fervoroso falecendo aos 61 anos de insuficiência cardíaca.
Seria este o protagonista deste registo em vídeo que está a gerar uma grande controversia, sobre a NASA ou a manipulação digital.

Anteriores imagens estáticas têm surgido de Jim Irwin com o que alguns investigadores de OVNIs reivindicam ser um OVNI registado através das imagens intencionais ou não.

A equipe do paranormal Crucible alterou a cor do vídeo durante partes do seu filme, usando um processo chamado colorisation, que torna mais fácil a visualização do objecto.

Os cépticos afirmam que poderia haver explicações mais banais para anomalias nas imagens, incluindo efeitos de luz, rochas de forma estranha, ou manipulação digital, ou até quem sabe balões led´s, ou reflexo na lente da câmera.

Tire as suas conclusões.


Fonte 

Autópsia a um Extraterrestre, RTP1, 1995

Memorando de 1995, realizado pela RTP 1, quando Roswell Novo México, estava no culminar e atenção do imprensa no que poderia ser o despertar da humanidade....

quarta-feira, 3 de junho de 2015

OVNI reaparece no Alentejo "Alcácer do Sal"

Localização - Alcácer do Sal - Alentejo

Data, hora - 02/06/2015 - 23:00h

Após a manifestação de voos erráticos de Objecto Voador Não Identificado no passado dia 26 de Maio, as vigílias em Alcácer do Sal, foram intensificadas no âmbito de se conseguir obter um melhor registo de imagens que nos ajude a obter uma percepção ou chegar a uma conclusão da sua origem.
No caso acima foi solicitado via e-mail algum esclarecimento à Força Aérea Portuguesa, que até ao momento não se pronunciou sobre o assunto, deixando este tabu fechado sobre o que sobrevoo a zona da Comporta!

Na vigília da noite 2 de Junho, surge novamente a estranha luz sobre o horizonte a Oeste da posição da vigília em Alcácer do Sal.
Eram 23:00h, quando foi possível ver esta luz e registar fotográficamente o fenómeno.
A misteriosa luz sobre uma vez mais por detrás das árvores se elevando a uma altitude de 20/30º, descendo na vertical, realizando sempre este voo de forma errática!

Com a câmera sobre o tipod, foi possível registar esta luz como também o rasto de luminosidade deixada que indica que a misteriosa luz estava a baixar de altitude.
Isto ocorre quando se fotografa no modo nocturno com o processador lento que visa registar imagens nocturnas com mais qualidade.

Foto original
Foto com tratamento de imagem 
Foi desta forma que se conseguiu mais este registo que durou não mais do que 20 segundos!
Será de salientar que na direcção mencionada existe uma unidade naval nas proximidades de Tróia que serve de apoio às tropas de fuzileiros.
Não se sabe se pode ou não ser um foguete luminoso a longa distância.
A região em especial é utilizada para treinos dos militares da Marinha, mas não justifica o que foi observado na noite 26 de Maio.

Os voos erráticos não justificam o comportamento da luz que surge de forma invulgar.
Por vezes desaparece por detrás das copas das árvores, outras vezes simplesmente desaparece a grande altitude.


Pelas 23:20h, era registado em vídeo por breves momentos a referida luz em plena dança.
Aqui fica o vídeo para vossa consulta do que foi observado.
Atenção de que a câmera está fixa sobre um tipod!



Até ao dia 9 de Junho as vigílias no local vão continuar activas de forma a registar mais e melhor este fenómeno continuo. 

Localização do objecto Voador Não Identificado